Este blog está correctamente escrito em português, à revelia do triste acordo ortográfico em vigor.

14/06/2011

John Carter: A Princess of Mars

A nova mini-série de Filipe Andrade para a Marvel
O português Filipe Andrade assinou contrato com a Marvel, para desenhar uma nova mini-série, desta vez uma adaptação das aventuras de John Carter de Marte, um herói criado há um século por Edgar Rice Burroughs (1875-1950), também criador de Tarzan.
Intitulada “John Carter: A Princesse of Mars” terá cinco números, o primeiro dos quais está previsto para o próximo mês de Setembro. A adaptação do romance de Burroughs está a cargo de Roger Langridge, sendo as capas da autoria de Skottie Young. Filipe Andrade, para além do desenho fará também capas variantes.
Recorde-se que depois de alguns trabalhos soltos, Andrade foi o primeiro português a desenhar uma mini-série para a Marvel, no caso “Onslaught Unleashed”, protagonizado, entre outros, pelo Capitão América, e cujo quarto e último número acaba de chegar às livrarias especializadas nacionais.
Um trabalho cujo número de vendas parece ser bom uma vez que até vai sair compilado em capa dura já em Julho” revelou o autor ao Jornal de Notícias. E acrescenta “Quando estive em Miami (na Wizard Comiccon) e em Londres (Kapow) o feedback foi muito bom, houve muito boas reacções”. No entanto, leu “também que havia muita gente a não gostar do meu estilo mais angular e até tive uma critica em formato video no Youtube. As reacções negativas sinceramente não me surpreenderam porque o meu desenho não se enquadrava nas formas dos anteriores Onslaughts. De qualquer forma fiquei espantado com o numero de vendas e criticas positivas”.
Relativamente a esta nova mini-série, implica a saída do género de super-heróis, algo que Andrade não procurou mas que reconhece que “veio em boa hora. Fazer o Onslaught foi um processo muito desgastante a todos os níveis. Eu e o Ricardo Tércio, o colorista, andávamos sempre a mil e o facto de não ser o meu género de ambientes mais cansativo se tornou. Esta história tem um universo completamente diferente e ainda mais desafiante, onde acho que posso evoluir muito como artista”.
John Carter de Marte nasceu em 1911 no romance “A Princess of Mars” e protagonizaria onze aventuras, sendo uma personagem que Andrade desconhecia: “Do E. R. Burroughs só conhecia o Tarzan, mas assim que fiz uma pesquisa rápida percebi no que me estava a meter. Facto comprovado também em conversa com os meus amigos. A história ainda não está finalizada e só li o primeiro rascunho, portanto ainda não posso adiantar mais nada”. Graficamente, o desenhador teve que fazer “designs que tiveram de ser aprovados. O ambiente extraterrestre é algo que nunca explorei ainda para mais tendo em conta que foi criado no inicio do século XX onde estes eram super exagerados. Mas acho que saiu bem pois foi tudo aprovado, pela Disney, pela ERB Foundation e pela Marvel”.
Ex-soldado da Guerra Civil norte-americana, John Carter, ao fugir de um grupo de índios, entra numa caverna onde desmaia, acordando mais tarde no planeta Marte, onde descobre que a baixa gravidade lhe proporciona uma enorme agilidade e força. Aí encontra estranhos habitantes, como os tharks, gigantes verdes com dois pares de braços, ou a bela princesa Dejah Thoris com quem acabará por casar.
As aventuras de John Carter foram por diversas vezes adaptadas em BD desde 1939, sendo que uma versão de 1972, da autoria de Murphy Anderson, foi publicada em português, primeiro no “Mundo de Aventuras” e, mais tarde, em álbum, pela Agência Portuguesa de Revistas.
Esta nova versão, de alguma forma vem preparar caminho para o filme realizado por Andrew Stanton que a Disney/Pixar tem anunciado para 2012, protagonizado por Taylor Kitsch, Bryan Cranston, Williem Dafoe e Lynn Collins. Apesar disso, Filipe Andrade afirma ter “total liberdade criativa em termos de visual e isso é um bónus a juntar a todo este projecto já de si maravilhoso”.





(Versão revista e aumentada do texto publicado no Jornal de Notícias de 13 de Junho de 2011)

5 comentários:

  1. É sempre bom ver que os nossos artistas começam a ser muito valorizados no estrangeiro... é pena que continuem a ser desprezados pelas editoras portuguesas!!
    Como é possível que não editem livros do Filipe em Portugal???

    Excelente crítica como sempre.

    Um abraço.

    ResponderEliminar
  2. Parabéns ao Filipe pelo sucesso!
    Agora penso que este novo projecto vai ser "terrível", uma vez que a "run" original foi escrita e desenhada por grandes artistas!
    Desejo a melhor das fortunas, e parabéns por mais este ambicioso projecto!
    ;)

    Abraço

    ResponderEliminar
  3. Pedro Cleto15/6/11 10:00

    Olá Lucaimura,
    Bem-vindo!
    O Filipe graças ao trabalho desenvolvido continua a dar passos firmes na construção de uma carreira que promete.
    Não havendo ainda certezas, a verdade é que já circulam alguns rumores relativos a uma eventual publicação do trabalho do Filipe - e também do João Lmos, do Nuno Plai e do Ricardo Tércio - por cá...
    Esperemos que se concretize!

    Bongop,
    Na verdade o John Carter já teve uma série de versões diferentes, algumas mais interessantes do que outras, algumas assinadas por grandes nomes.
    Penso que a opção do Filipe passará por recriar no seu traço pessoal o universo imaginado por Burroughs, com os acrescentos daquilo que o século entretanto decorrido trouxe em termos de ficção-científica.
    Sabendo-se, no entano, que as comparações serão inevitáveis...
    Um grande abraço aos dois!

    ResponderEliminar
  4. Pedro Cleto15/6/11 14:19

    Caro Álvaro Holstein,
    Agradeço a sua visita e as suas palavras. Espero encontrá-lo por aqui mais vezes!
    Um abraço!

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...