Este blog está correctamente escrito em português, à revelia do triste acordo ortográfico em vigor.

14/02/2011

Homem-Aranha substitui Tocha Humana

Com as cinzas do Tocha Humana ainda quentes (!) – a sua morte aconteceu no final de Janeiro - a Marvel já tratou de lhe arranjar um substituto, tendo anunciado que o seu lugar no Quarteto Fantástico será ocupado pelo Homem-Aranha.
Isto acontecerá na estreia da revista FF (que será lançada a 23 de Março), na qual aquela sigla deixa de corresponder a Fantastic Four (Quarteto Fantástico) passando a designar a Future Foundation (Fundação Futuro), que terá por missão salvar o universo Marvel de grandes ameaças. Este título (que no seu número inaugural terá o dobro das páginas habituais e quatro capas diferentes, assinadas por Steve Epting, Daniel Acuña, Stan Goldberg e Marko Djurdjevic), vem substituir a revista Fantastic Four, que terminará este mês, no nº 588, com uma história que de alguma forma antecipa o futuro agora desvendado, numa conversa entre o Homem-Aranha e Franklin Richards, filho do Sr. Fantástico e da Mulher Invisível.
Na história inaugural de FF #1 escrita por Jonathan Hickman e desenhada por Steve Eptin, a entrada do Homem-Aranha no grupo fica também assinalada pela estreia de novos uniformes de cor branca, que substituem os tradicionais fatos azuis com o número 4.
Curiosamente, o Homem-Aranha tinha-se oferecido para integrar o Quarteto Fantástico logo nos seus primórdios, na revista “Amazing Spider-Man” #1 (1963), tendo na altura sido recusado.
Esta notícia surge ao mesmo tempo que chega às livrarias especia-lizadas portu-guesas a edição #587 de Fantastic Four, a tal em que o Tocha Humana perde a vida no decorrer de uma enorme batalha, que foi alvo de uma grande campanha de marketing desde Agosto de 2010, chegando às bancas envolta num saco plástico preto, para não ser possível saber antecipadamente qual dos super-heróis perderia a vida. Campanha que obteve os resultados pretendidos, quer mediaticamente, quer em volume de vendas pois a revista foi a mais vendida nos EUA no mês de Janeiro, ultrapassando os 115 mil exemplares e recolocando a Marvel no topo.
Sem aquela expressão, este número especial – que muitos consideram um bom investimento tendo em vista uma eventual futura valorização – teve um número de encomendas bem superior ao habitual também nas lojas especializadas portuguesas, como é o caso da Mundo Fantasma, no Porto.

(Texto publicado no Jornal de Notícias de 12 de Fevereiro de 2011)

4 comentários:

  1. André Azevedo17/2/11 11:24

    Caro Pedro,
    Primeiro um aplauso:
    “Este blog está correctamente escrito em português, à revelia do triste acordo ortográfico em vigor.”
    Concordo plenamente e assino a frase por baixo.

    Antes de comentar este post esperei para ler o arco de histórias que levam à “morte” do Johnny Storm, do Fantastic Four nº 873 ao 877.
    A Marvel continua a especializar-se em matar personagens chave para depois mais tarde trazê-los de volta, ganhando assim dois acontecimentos rentáveis.
    Mas, tenho de ser justo, quase todas as “mortes” na Marvel são bem preparadas, com bons argumentos e arte, já as “ressurreições”…
    Bem, mas aparte do acontecimento mediático, o arco de histórias em questão é realmente bem preparado e escrito pelo Jonathan Hickman e muito bem ilustrado pelo Steve Epting, cuja arte evoluiu muito ao longo dos anos, sendo hoje um dos desenhistas que gosto mais na linha actual dos super-heróis.
    E agora, como se costuma dizer, spoiler alert… no final do nº 877, o tal em que é suposto o Tocha Humana morrer, bem… na verdade o que se vê é o Johnny a combater sozinho e com valentia uma segunda anihilation wave.
    Hickman consegue em poucas páginas resumir a essência da família Storm.
    Agora é esperar para ver que rumo dará a equipa Hirkman/Epting à história, mas julgo que juntar o Homen-Aranha ao grupo não irá trazer nada de novo, a não ser, claro, um maior número de vendas.

    ResponderEliminar
  2. Caro André Azevedo,
    Como diz um amigo meu: para quem não sabe ler/escrever, o acordo não faz qualquer diferença; para quem já sabe ler/escrever, vai obrigar a aprender de novo, com a agravante que deixa de haver uma lógica e passa a haver regras sem sentido nem fundamento.
    Veja-se o caso de Egipto que passa a 'Egito', embora os seus habitantes continuem a ser os egípcios! Enfim...
    Quanto ao Tocha Humana, confesso que ainda não li o arco em questão, mas não tenho dúvidas que, por muito lógica que a sua morte se apresente, foi apenas um pretexto para mediatizar e rentabilizar os heróis da Marvel. E várias vezes: na morte, na substituição pelo Homem-Aranha, na (futura) ressurreição….
    Abraço!

    ResponderEliminar
  3. Novidades só no continente,a Morte e Regresso é quase obrigatória nos comics marvel/dc.lolo

    ResponderEliminar
  4. Caro Optimus Prime,
    Pois, é o que faz movimentar os dólares...
    Abraço!

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...