Este blog está correctamente escrito em português, à revelia do triste acordo ortográfico em vigor.

11/09/2009

11/9 – Vários títulos

Como era de esperar, a poderosa indústria de "comics" norte-americana não ficou indiferente aos acontecimentos do 11 de Setembro de 2001, multiplicando-se em edições evocativas ou de homenagem, quase todas elas com as receitas a reverterem para os fundos de apoio às vítimas ou aos familiares dos atentados terroristas que destruíram as torres gémeas.
Assinado por alguns dos nomes maiores da Casa das Ideias – Bagley, Bendis, Scott Morse, Quesada, ou Romita Jr. -, A Momento of Silence reúne quatro ilustrações de página inteira e quatro bandas desenhadas curtas, quase completamente mudas, silenciosas, o que torna mais forte o impacto das suas imagens que retratam a tragédia que se abateu sobre a América no 11 de Setembro de 2001. Duas delas focam a forma como as famílias sentiram, sofreram, à distância, a possível (nalguns casos efectiva) morte de alguém, e as outras duas realçam o trabalho desinteressado (em muitos casos fatal) das equipas de salvamento.
Esta é, aliás, uma constante nestes títulos, em que os autores, mais do que utilizar os (seus super-heróis, optaram por homenagear o trabalho de polícias, bombeiros e voluntários, cujo anonimato contrasta com a visibilidade que as grandes façanhas dos super-heróis recebem. E por isso, um outro título da Marvel, Heroes, tem como subtítulo "Os maiores criadores de super-heróis do mundo honram os maiores heróis do mundo". Neste caso são apenas ilustrações de página inteira, várias dezenas delas, onde encontramos nomes como Neal Adams ou Kevin Smith. E se a maioria optou por retratar os anónimos heróis das equipas de socorro, na sua missão desesperada, desinteressada, humanitária, é impossível ignorar, logo a abrir um Incrível Hulk que nos habituou a incontroláveis e violentos acessos de raiva, a revelar insuspeitada delicadeza e ternura ao levantar dos escombros o capacete de um bombeiro... Há até uma premonitória gravura que mostra duas brilhantes torres de luz no espaço vazio antes ocupado pelas Twin Towers, antecipando a homenagem real do passado dia 11 de Março...
Da DC Comics, tivemos dois volumes - 9-11Artists Respond e 9-11, The world’s finest comic book writers and artists tell stories to remember. Numa das capas, de Eisner, temos um autor de BD a desenhar no topo de um arranha-céus, enquanto que na outra, de Alex Ross, podemos ver um Super-Homem admirativo que contempla a imagem de bombeiros, polícias e outros membros das equipas de salvamento. As histórias curtas ou as ilustrações foram agrupadas tematicamente em capítulos como "Pesadelos", "Heróis" ou "Recordações". Mais uma vez, são os socorristas os novos heróis, o que não impede que também haja espaço para observarmos os super-heróis a reconstruírem torres maiores e mais altas... nos sonhos de uma criança. Uma análise um pouco mais cuidada, revelará - possivelmente sem surpresa - como são quase nenhumas as histórias ou ilustrações que falam do direito à diferença ou da necessidade da convivência harmónica entre os povos, sendo proporcionalmente mais as que falam de vingança. O maior exemplo de chauvinismo é a narrativa do veterano Stan Lee, que metaforicamente transforma os EUA num paraíso de igualdade, justiça e fraternidade, governado imparcialmente por elefantes, que é traiçoeiramente atacado por ratos de esgoto, prontamente esmagados sem piedade...
De todas, a mais interessante, em minha opinião, é, no entanto, 9-11, Emergency Relief, editada pela Alternative Comics, que agrupa clássicos como Will Eisner ou Harvey Pekar, quase desconhecidos da BD alternativa e underground, ou Frank Cho, James Kochalka, Jessica Abel, Peter Kuper, Scott Morse e Jeff Smith, que optaram maioritariamente por passar ao papel os sentimentos e emoções que viveram, contando as histórias na primeira pessoa, o que dá um cunho muito especial à obra.
Globalmente, de todas estas obras, fica a mensagem de que o sonho americano continua vivo. E que assim continuará enquanto houver quem continue a contar as aventuras dos heróis (de papel ou de carne e osso) que o personificam.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...